09/09/2017

Banco do Brasil aposta na infraestrutura e quer atrair investidor. Presidente do banco destaca integração com BNDES

O Banco do Brasil aposta no segmento da infraestrutura como instrumento importante para a retomada do crescimento econômico e vai financiar 18 projetos em diversas regiões do país.

 O anúncio, feito semanas atrás, aponta para uma carteira de R$ 50 bilhões – mais que destinar recursos, o banco vai atacar um dos aspectos relevantes de projetos dessa envergadura: o risco. Para isso, deve atuar como articulador de uma maior participação de bancos privados nesse campo.

A chegada do Banco do Brasil traz expectativa positiva para empresários da construção. Em entrevista exclusiva a CBIC, Paulo Cafarelli afirma que os projetos são atraentes para o investidor. Presidente do Banco do Brasil, ele também explica a operação conjunta com o BNDES para a concessão de capital de giro às empresas.

Leis os principais trechos:

Cbic - Qual a previsão de lançamento da linha de crédito do BB para os projetos de infraestrutura?

Paulo Cafarelli – O Banco do Brasil propôs ao Governo Federal um novo modelo de financiamento de Projetos de Infraestrutura que prevê captações via mercado de capitais e dois papéis bem definidos. Um deles é o papel dos investidores,  que poderão adquirir debêntures emitidas pelas concessionárias vencedoras de leilões para financiamento dos Projetos. Dentre os investidores poderão estar gestores de recursos, investidores qualificados, além do próprio BNDES e FI-FGTS. O outro papel é o dos garantidores, onde atuarão bancos com capacidade para analisar e assumir risco de crédito de Projetos por meio da emissão de fianças bancárias denominadas Fianças Completion. Atingido o completion financeiro do Projeto, quando portanto a Concessão passa a gerar caixa suficiente para cobrir suas despesas, é dado encerramento às fianças. Nesse modelo os bancos assumem o risco de crédito na fase de construção e completion financeiro, gerando grande atratividade para que os investidores entrem nos projetos desde suas fases iniciais.

C -Foram mencionados 18 projetos, quais são eles? Que áreas/regiões eles beneficiam?

P.C. – Por razões de sigilo, não podemos mencionar quais são os Projetos, mas podemos dizer que referem-se aos diversos segmentos do setor de infraestrutura, como rodovias, ferrovias, aeroportos e energia elétrica, localizados em várias regiões do país.

C- Qual a estimativa de investimento?

P.C. – Os Projetos nos quais estamos trabalhando envolvem investimentos de aproximadamente R$ 50 bilhões. Essas operações ocorrem sempre no modelo de sindicato de bancos, portanto o BB é um dos apoiadores desses projetos.

C- O BNDES anunciou o BNDES Giro, para agilizar a concessão de crédito para capital de giro de micro, pequenas e médias empresas. O Banco do Brasil pretende oferecer em suas agências linha nesse escopo? Em caso positivo, a que custo de intermediação?

P.C. – A linha BNDES Giro já está disponível no BB, em substituição à linha BNDES Capital de Giro Progeren.  O custo de intermediação financeira é avaliado de acordo com as características individuais de cada cliente e de acordo com o prazo de cada operação. Cabe destacar que a nova plataforma de integração dos sistemas do Banco com os sistemas do BNDES diminui significativamente o tempo da liberação do crédito ao cliente, inclusive já fizemos a primeira operação do mercado.

 

Fonte: Cbic

Guia de Calçadas
Guia de Caladas
Seminario
Seminario

Sinduscon-MS © Todos os direitos reservados.
Rua Spipe Calarge, 1479 | Vila Morumbi | Campo Grande-MS | CEP: 79051-560
Telefone: (67) 3387-8884 | Fax: (67) 3387-0909 | e-mail: sindusconms@sindusconms.com.br