13/07/2018

Após greve dos caminhoneiros, indústria de materiais de construção registra baixas em maio e junho.

Dados divulgados pela Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) revelam queda no faturamento deflacionado de -4,7% em relação ao mesmo mês do ano passado. O estudo também aponta revisão dos dados projetados sobre o mês de maio no estudo anterior. O resultado, antes apontando crescimento de 3,5%, foi revisado para queda de -9%, com ambos os resultados obtidos pela comparação com o desempenho do setor no mesmo mês do ano anterior.

Com a revisão de maio e a estimativa feita para junho, o crescimento acumulado no ano até aqui, em comparação com o mesmo período do ano passado, é de -0,4%. Apesar dos impactos trazidos por essa externalidade, a associação mantém por enquanto a projeção para um fechamento de ano com crescimento de 1,5% do setor.

Comparando junho e maio deste ano, a projeção é de crescimento de 4,4%. Apesar da guinada negativa do mercado com a greve, o real faturamento de junho pode ser superior à previsão, uma vez que muitas vendas realizadas no mês de maio foram adiadas com a greve, tendo seus números computados apenas no mês seguinte.

O emprego na indústria de materiais de construção, apesar da greve, segue rumando para uma reversão de tendência. O acumulado no ano agora é de -1,2%, melhor resultado desde janeiro. No mês anterior, o ano acumulava redução de -1,3% no número de vagas. Ambos os resultados derivam da comparação com o período equivalente do ano anterior.

 

Fonte: CBIC - (Com informações da Abramat)

 

DFI SISTEMA FINANCEIRO
DFI SISTEMA FINANCEIRO

Sinduscon-MS © Todos os direitos reservados.
Rua Spipe Calarge, 1479 | Vila Morumbi | Campo Grande-MS | CEP: 79051-560
Telefone: (67) 3387-8884 | Fax: (67) 3387-0909 | e-mail: sindusconms@sindusconms.com.br